quinta-feira, 31 de julho de 2008

Por nós

Temos de o fazer.
Por nós. Só por nós. Porque ao fazermos pelos outros não fazemos coisa nenhuma. Façamo-lo porque queremos ou porque precisamos mas sempre por nós.
Não interessa o que temos de fazer nem porquê desde que seja por nós próprios. Lembrem-se disso.

domingo, 27 de julho de 2008

Intuição

Já sentiram que tinham mesmo de fazer aquilo?
Todos vos dizem o contrário mas sentem que estão enganados, sentem que têm mesmo de o fazer, sentem que se não o fizerem vão ser as pessoas mais estúpidas e frustradas à face da Terra.
Contra tudo e contra todos, aquele sentimento diz-vos que tem de ser, que é a escolha certa, que vos vai fazer feliz, que vos vai libertar. O facto de ninguém concordar comigo só me faz concordar ainda mais com ele.


sexta-feira, 25 de julho de 2008

Outra

E quando daqui a muito tempo olhar para o de agora, vou-me lembrar da fase em que o cortei, do porquê de o ter cortado e do porquê do corte escolhido.
Mais de metade do meu cabelo desapareceu e com ele uma fase.
Porque cortar o cabelo pode não ser só cortar o cabelo.

quarta-feira, 23 de julho de 2008

Ementa

Empadão de aborrecimento com salada de irritação.
Incerteza picada e batatas a murro.
Uma boa e apurada sobremesa de cansaço e, para terminar a refeição em beleza, café exótico com sabor a desilusão.

terça-feira, 22 de julho de 2008

Calor

Ia começar a ler e tive de limpar os óculos às cuecas.

segunda-feira, 21 de julho de 2008

Não o leiam

que ele não merece.


Aviso:
Blog em fase de depressão.

Dá-lhe rápido, passa-lhe depressa.

Procrastinações diárias

Passear, namorar, viver, sorrir, relaxar.

Quando um trabalho nos faz desistir de tudo isto só há uma coisa a fazer.
E porque o dinheiro não é tudo mas ajuda, continuo a adiar em vez de melhorar.

sexta-feira, 11 de julho de 2008

Questões [não-existenciais]

Quando falam das nossas olheiras e do nosso aspecto cansado...
É suposto ficarmos contentes porque não é fruto da nossa imaginação ou devemos ficar tristes porque estamos com tão mau aspecto que metemos nojo aos cães?

quinta-feira, 3 de julho de 2008

Funesto

Como se não bastasse o facto de ter vontade própria, a sua vontade nunca é a mesma que a minha.
Não pára quando eu quero e avança quando eu menos espero. Cria problemas, não os resolve, gosta de contrariar e tira-me do sério.
O tempo é o filho que eu nunca tive e que espero nunca gerar.

Todos temos um bode expiatório. O meu é o tempo.