quarta-feira, 24 de setembro de 2008

Onde? Onde?

Ali não há medo de dizer "preciso de ti" ou "és importante". As palavras que à maior parte das pessoas ficam presas na intenção, são proferidas alegremente e as pessoas que as proferem não têm medo da rejeição, troça ou falhanço.
A frustração não tem lugar porque, ali, a alegria da tentativa frui sem medo.
O abraço não fica por dar e quem precisa dele sente de imediato o enrolar de uns braços.
O olhar carinhoso é sempre acompanhado por um "gosto de ti" independentemente do grau de intimidade. Ali mostra-se o que se sente quando se sente, quer pareça mal ou menos bem.
Ali, o medo e a vergonha são facilmente esmagados pelo afecto.
Quando souber onde fica o Ali, sou feliz.

terça-feira, 23 de setembro de 2008

O que tem de ser...

Ultimamente tenho vivido. Tenho vivido tanto que não tenho escrito nada.
E logo eu que gostava de viver a escrever.

quinta-feira, 18 de setembro de 2008

Bajuladores

No intervalo sou surpreendida e vejo-me obrigada a repreendê-los.
Dois alunos apanharam duas flores por entre as grades que os separam de um jardim e ofereceram-mas.

E eu adorei.

quarta-feira, 17 de setembro de 2008

terça-feira, 16 de setembro de 2008

Reflexão (22)

Quem não está em quase todos os momentos não merece participar nos melhores.

quarta-feira, 10 de setembro de 2008

Alegria árdua

Mudei.
Eles agora são pequenos, fazem quase sempre o que lhes digo, ouvem como quem não sabe e não fingem saber quando não sabem.
Não esperam pela altura certa, não escolhem as palavras nem pensam nos outros. Têm brincadeiras parvas, ficam de castigo, dão mais trabalho, precisam de mais estímulo e de mais atenção.
Mudei e agora rio-me mais.

terça-feira, 9 de setembro de 2008

Simplicidade

Não é preciso mais.
Costumamos dizer tanta coisa que não significa rigorosamente nada que nem nos apercebemos que não significam rigorosamente nada.


Estou aqui. Continuo aqui. Continuarei aqui mesmo que não esteja aqui.

Nunca é preciso mais do que isto porque ninguém o diz se não for verdade.

Coisas que não interessam nem ao menino Jesus

Olho para o jardim zen e sou transportada para minutos de alienação e total descontracção.
Passado um segundo volto a mim e deixo-o na loja porque sei que nunca o usaria simplesmente porque não consigo ter minutos de alienação e de total descontracção.
Mas gostava.

terça-feira, 2 de setembro de 2008